Entenda a Reforma Tributária que pode ser aprovada em março





Há muito tempo, os brasileiros escutam falar sobre a Reforma Tributária. No entanto, sem se aprofundar muito no assunto, até porque o tema não é tão simples e a cada hora surge uma informação nova, você, talvez, ainda não tenha formado uma opinião em relação à pauta.


Nós, da Prime Contabilidade, não queremos induzir ninguém a apoiar ou discordar da reforma em questão. Vamos, por meio deste post, tentar explicar os principais pontos do texto, que, segundo o deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), deve ser aprovado no próximo mês de março.


De acordo com informações da Agência Câmara de Notícias. Ribeiro disse que a reforma “deve passar com apenas alguns ajustes no texto”. Só em 2020, foram realizadas 11 audiências públicas entre deputados e senadores, inclusive durante a pandemia, para debater a pauta.


Dito isso, agora, a partir da nossa explicação, o contribuinte terá mais elementos para formular o seu próprio pensamento sobre o assunto.



Pontos principais


A Câmara dos Deputados expõe os principais pontos da Reforma Tributária. A Prime Contabilidade os reproduz:


-Proposta simplifica o sistema tributário, substituindo cinco tributos (PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS), ou seja, tributos municipais, estaduais e federais sobre consumo, pelo Imposto sobre Bens e Serviços (IBS);


-Transição vai demorar dez anos, sem redução da carga tributária;


-Proposta também cria o Imposto Seletivo Federal, que incidirá sobre bens e serviços cujo consumo se deseja desestimular, como cigarros e bebidas alcoólicas.



Transição


A transição supracitada ocorrerá em duas etapas. A primeira será um teste, que vai durar por dois anos, com a redução da alíquota da Cofins (sem impacto para estados e municípios) e a implementação do IBS com a alíquota de 1%.


Depois, a cada ano, as alíquotas serão reduzidas em 1/8, anualmente, até a extinção total dos cinco tributos que serão substituídos pelo IBS. A alíquota do IBS, então, será aumentada para repor o valor que deixará de ser arrecadado até o fim da transição. Desta forma, o Brasil, teoricamente, conseguiria finalmente descomplicar a sua tributação, algo bastante desejado pelos contribuintes do país.


Para se ter uma ideia de como sofremos para pagar todos os impostos, a Câmara dos Deputados afirma que, segundo o Banco Mundial (Doing Business 2019), “uma empresa brasileira leva 1.958 horas para pagar tributos. O segundo colocado, Bolívia, leva 1.025 horas. E a média de 190 países pesquisados é de 206 horas”.


Posição do Executivo


Enquanto o deputado Baleia Rossi (MDB-SP), por meio da PEC 45/19, defende a unificação dos cinco tributos citados, o governo federal apoia a PL 3887/20, do deputado Arthur Lira (PP-AL), com uma proposta mais enxuta: unificar somente o PIS e a Cofins no IBS. As informações são da Agência Câmara de Notícias.


Ainda segundo a agência, o deputado Joaquim Passarinho (PSD-PA), vice-líder do governo na Câmara, acredita que, apesar dessas pequenas divergências, um acordo para a votação da Reforma Tributária deve sair em breve.


“Eu creio que estamos próximos de ter um acordo, talvez não um consenso, mas um acordo para a votação da Reforma Tributária na Câmara. Eu creio que falta pouco para termos condição de voto”, avaliou.


Já o líder da Minoria, deputado José Guimarães (PT-CE), afirmou que a oposição não deve ser um obstáculo para a simplificação tributária. No entanto, o parlamentar destacou que a reforma também deve focar na diminuição da desigualdade social.


“A simplificação e a unificação de dois tributos, isso todo mundo defende. Agora, não podemos ficar só nisso porque isso não dá conta da alta concentração de renda e das altas taxas de impostos que recaem sobre a classe média e sobre os trabalhadores”, salientou.


De qualquer forma, especialistas da área tributária e econômica acreditam que, com a Reforma Tributária aprovada, o Brasil poderá registrar um crescimento econômico representativo nos próximos 15 anos. Agora, é aguardar para ver!


A Prime Contabilidade acompanha, atenciosamente, toda a discussão sobre a Reforma Tributária. Para não perder nenhum detalhe, siga o nosso escritório nas redes sociais e fique atento ao nosso blog. Quando houver novidades, a reforma será pauta neste espaço novamente.


33 visualizações0 comentário
logo site vs 2.png
82-825191_email-circle-icon-png-transpar

+55 (11) 3170-1313

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone LinkedIn
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone LinkedIn
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone YouTube
telefone vermelha.png